Há carência de profissionais especializados para o trabalho em redes de energia elétricas aéreas e subterrâneas. A Medral tem feito a sua parte, formando jovens aprendizes que podem tanto ser contratados pela empresa quanto seguirem para o mercado de trabalho. No final de 2017, foi formada mais uma turma de Jovens Aprendizes na Unidade Penha da Medral, no Rio de Janeiro.

Após 600 horas de aulas no Centro de Treinamento da companhia, os 22 participantes do programa receberam o diploma de eletricistas. Eles foram preparados para atuar nos setores de Lidecore (serviços relacionados a novas ligações, desligamentos, cortes e religações de consumidores), atendimento emergencial em energia elétrica, construção e manutenção de redes desenergizadas. Dez deles foram contratados pela empresa ao término do curso.

Jovens Aprend RJ 2

O grupo começou sua formação em fevereiro, depois de um processo seletivo coordenado, conjuntamente, pela Medral e pelo SENAI, instituição parceira da empresa na realização do Programa Jovem Aprendiz. Na edição anterior, quando 20 jovens foram formados, a seleção foi feita apenas pelo SENAI. A nova rotina contribuiu para o aprimoramento dessa etapa, favorecendo a seleção de jovens que se identificam com os valores e a cultura da Medral. A formatura aconteceu na unidade SENAI Vicente de Carvalho (foto acima).

Eletricistas para redes subterrâneas

Ainda em 2017, a Unidade Vila Guilherme da Medral, em São Paulo, formou a primeira turma de jovens-aprendizes especializados em redes subterrâneas. Como não havia um curso específico para a área, os profissionais da Medral trabalharam em parceria com a esquipe da escola SENAI Roberto Simonsen no desenvolvimento de todo o programa de formação.

Como resultado, foi criado o Curso de Formação de Eletricista de Rede Subterrânea, que passou a integrar o cardápio oferecido pela rede SENAI em todo o Brasil. Além de ter colocado seu conhecimento a serviço do desenvolvimento técnico do setor, a Medral contribui com a inclusão qualificada de jovens aprendizes no mercado de trabalho. Em geral, após passarem pelo programa, eles são contratados pelas empresas para atuarem como auxiliares administrativos. Na Medral, eles adquirem uma profissão competitiva e altamente valorizada.

O curso tem duração de um ano, com uma carga horária de 4 horas por dia. Os alunos passam um semestre estudando no SENAI, onde recebem a formação básica, incluindo disciplinas como física, química e matemática. Os seis meses seguintes são dedicados ao aprendizado prático, que é ministrado no Centro de Treinamento da Unidade Vila Guilherme da Medral. O local dispõe de salas onde são ministradas as aulas teóricas e um laboratório que simula uma instalação subterrânea, permitindo que o aluno coloque em prática os conceitos teóricos aprendidos.

Se o aluno for aprovado com média 7, estará habilitado a atuar como eletricista subterrâneo e, se desejar, passa a fazer parte da força de trabalho da Medral. Na primeira turma do curso, formada em 2017, os 16 jovens decidiram permanecer na empresa e já foram a campo, acompanhados de um eletricista experiente. Em São Paulo, a Medral presta serviços em redes subterrâneas para a AES Eletropaulo.

O programa Jovem Aprendiz é realizado em outras unidades da Medral, a exemplo da Reformadora, situada em Dracena (SP), que apoia a formação técnica em Mecânica de Usinagem em Máquinas Convencionais, em parceria com o SENAI Dracena.

Fique por dentro

O Jovem-Aprendiz foi criado pelo governo federal a partir da Lei da Aprendizagem (Lei 10.097/2000), que regulamenta a capacitação e a inserção de adolescentes e jovens com idade entre 14 e 24 anos no mundo do trabalho. A capacitação fica a cargo das instituições de ensino profissional, a exemplo do SENAI. Ao mesmo tempo, as empresas são estimuladas a contratar os jovens formados. Esse processo contribui para reduzir as desigualdades no acesso ao primeiro emprego no Brasil.